O que você precisa saber sobre HTML5

HTML5 está sendo discutido por todo lado. Natural. É a grande novidade da década no desenvolvimento para a Web. Depois de anos de indas e vindas com o XHTML2, W3C se uniu aos dissidentes do WHATWG para continuar desenvolvendo a especificação do HTML.

As maravilhosas oportunidades do HTML5 você pode ver no HTML5 Demos and Examples, no HTML5 Gallery ou no HTML5 Watch. Mas o que de fato você precisa saber antes de tomar uma decisão em aplicar este tipo de documento ao seu projeto?

Código mais frouxo

Nos últimos anos, a obsessão pelo código válido e bem formado nos fez esquecer o princípio do HTML: qualquer um pode escrever documentos e publicá-los na Web. Para quem trabalha com CSS e JavaScript, esta obsessão tem uma razão de ser. Qualquer trecho mal formado pode criar problemas de renderização indecifráveis. Nesta nova especificação, voltamos a não obrigatoriedade de fechar tags do HTML 4.

Além disso, o HTML5 permite tags escritas em caixa alta ou baixa. Quem tem TOC terá problemas em trabalhar com um código colaborativo ou legado.

Não há plugin de validação de código

Esta é uma meia verdade. Existe uma opção no Web Developer para exibição da validação da página que cobre o HTML5. O problema é navegar em outras páginas durante o trabalho. Tudo fica extremamente lento. E também há este plugin para Firefox que joga para o html5.validator.nu, o que é totalmente inútil se você estiver trabalhando localmente. E se você estiver com algum tempo livre sobrando, pode também instalar o validator.nu no seu ambiente local e usar o plugin do 456 Berea Street. Não tenho uma teoria de o porquê de não termos um bom plugin para validação ainda.

É de verdade ou é de brincadeirinha?

Qualquer aplicação ou site já desenvolvido pode ser passado integralmente para HTML5 sem dano. Basta mudar declaração do tipo de documento e validar a página para corrigir alguns detalhes. Mas o ideal é verificar quais são as novas tags disponíveis para a organização de um documento e treinar novas aplicações em diversos tipos de documento. Aqui vale um estudo mais cuidadoso dos modelos de conteúdo (ou content models). Aí está algo que nunca demos muita importância no passado principalmente depois das “verdades absolutas” proclamadas pelos evangelistas de SEO sobre o peso de cada elemento dentro de um documento e a relevância destes conteúdos para os mecanismos de busca.

E funciona no Internet Explorer?

Sim, HTML5 funciona no Internet Explorer com um JavaScript para habilitar as tags específicas. Mas não se preocupe: HTML5 está nos planos da Microsoft para o IE 10. Veja mais sobre este script no HTML5 Doctor.

De qualquer forma…

Todo desenvolvedor deve aprender HTML5. Nunca sabemos quando será o próximo projeto e quais serão seus requisitos básicos. E esta nova especificação não é difícil. Tenha em mente apenas que a semântica está mais presente e tem um papel mais fundamental do que nas versões anteriores. E este sempre foi o calcanhar de Aquiles do desenvolvimento para a Web.

Lembre-se sempre: HTML5 é mais do que as maravilhosas tags que permitem conteúdo rico em dispositivos móveis da Apple. ;)

Veja mais sobre este assunto:

Aprenda HTML5:

E você tem alguma consideração sobre o desenvolvimento em HTML5?

Por | Tags: | Alterado em 06/05/11 às 13:05

Comentários

  1. Aline Bossi disse:

    O HTML5 certamente veio para ajudar desenvolvedores, estive analisando algumas funcionalidades novas e vi o quanto será bom quando os todos navegadores se adequarem. Acho que entre as coisas que foram lançadas (como XHTML e outros) o HTML5 será o mais útil, pois poderá ser usado tanto em aplicações pequenas quanto em aplicações grandes. Sem falar que a facilidade para o desenvolvedor será espelhada aos usuários, que terão entrada de dados bem tratadas, o que evitará diversos erros e dúvidas.

    Adorei o artigo!

Faça um comentário

*