Minino! Não te contei?

Há cerca de dois ou três anos, eu fazia parte de uma lista de discussão sobre negócios na Internet. Havia uns caras fantásticos falando sobre como construir seu plano de negócios e fidelizar os clientes. E havia também muitos loucos pulando fora de seus empregos em bancos e grandes consultorias para ter um pequeno mas lucrativo [eu diria divertido] negócio virtual. Era a Nova economia. O sonho acabou logo depois e muito do que foi dito na época não sobreviveu.

Vote em mim!

Náoo sei quanto a vocës, mas não gosto de gente pedindo para votar nisso ou naquilo. Pior! Quando colocam aquele alertbox do JavaScript te obrigando a votar. E as pops ups saltitantes do IBest? Vixi! Você vai para homepage e pop!, dá um F5 e pop!

A fórmula mágica do blog de sucesso – II

Mais um blogger famoso colaborou com sua fórmula. Desta vez foi o Edison do Be Happy(ou quase).

[…] Não tem coisa mais gratificante do que ser reconhecido por um trabalho, em qualquer lugar e por qualquer motivo. Acontece com todo mundo, não adianta negar que o sonho de todo blogueiro é ser lido e gostado pela maioria. Esse negócio de fazer Blog e dizer que escreve só pra si e que não se interessa por audiência, é pura mentira. O meu “Be Happy (ou quase)” apareceu no “Of Notes”, do Blogger, me proporcionando maravilhosos “quinze minutos de fama” e eu, além de feliz, fiquei curioso. Como se chega lá? Tantos trabalhos melhores que o meu não estão relacionados e outros que por lá passaram, talvez não merecessem tanto. Enfim, fica a curiosodade e a certeza que depois disso, nada será como antes. Em dois meses de vida recebi 1.700 visitas, em apenas cinco dias de “Of Notes”, mais do dobro. Hoje, dia 10.11.2002, são 4.150 visitas. Se alguém souber o “modus” de escolha dos blogs lá do “Notes”, que me avise. Um abraço. Visite o “Be Happy(ou quase)” em http://www.behappy.blogger.com.br. […]
Edison, do Be Happy(ou quase), em depoimento via e-mail

A fórmula mágica do blog de sucesso

Como não adianta perguntar para o Bloggerman o que faz ele escolher um blog para o Blog of Notes e é isso mesmo que você quer saber, vou aos poucos coletando dicas preciosas de quem chegou ? lista dos ban-ban-bans do pedaço. O primeiro depoimento é do Ricardo do blog Café Preto:

[…] O Café preto, foi feito com muito carinho
Você não vai acreditar:
Eu não sabia NADA de html
Foi dando muita cabeçada sozinho, que consegui colocar esse template
tudo foi feito com muita pesquisa e determinação
Eu acho que está 85%, falta algumas coisas que quero colocar e ainda não aprendi..rs[…]
Ricado Moraes, do Café Preto, em depoimento via ICQ

Quem está lendo este post afinal?

Desde que este blog foi indicado pelo Bloggerman na homepage do Blogger.com.br, vários bloggers entraram em contato pedindo informações de como fazer seus blogs serem mais visitados. Confesso que fiquei chocada com tudo isso.

Eu avisei para não comer todo o doce!

Da próxima vez que te pedirem um banner todo colorido, piscando feito árvore de Natal, você pode oferecer todo um embasamento teórico para dizer não. Com o artigo Banner Blindness: Web Searchers Often Miss “Obvious” Links surgiu um novo termo para denominar o que a gente já sabia de tanto ler relatório dos doubleclicks da vida. O usuário depois de tanto ver banner está ignorando solenemente os quadrinhos piscantes. O uso e o abuso dos banners remontam aos tempos antigos da web pré-quebradeira das ponto-com. Não havia site de Zé das Couves da esquina que não oferecia um plano baratinho de mil page-views. Os mais sofisticados ofereciam o tal do “só se o usuário clicar…”. Tem muita gente sobrevivendo até hoje com isso, mas o fato é que o usuário que nunca ligou muito para banner passou a não olhar para ele mesmo nos últimos tempos.