No final, o que é melhor para o usuário?

Nem sempre uma decisão sobre uma funcionalidade que evidentemente é a melhor para o usuário é também a melhor para a empresa. Certas decisões de interface podem melhorar o desempenho do sistema e das vendas ou diminuir os custos da empresa. Como decidir?

Há algumas semanas, Twitter implementou o botão “more” ao invés da paginação habitual de “older” e “next”. Alguns usuários reclamaram, mas se for para manter a baleia fora do caminho, por que não?

Botão "more" no Twitter

Acredito que este foi um recurso utilizado para diminuir as requisições e tornar o acesso ao site mais rápido, mas também como dificultador para robôs de indexação. Ficou mais complicado para o GoogleBot, por exemplo, acessar twitts anteriores às últimas vinte atualizações de cada usuário. Tornando o mecanismo oficial de busca o método mais confiável se de encontrar alguma informação publicada somente no Twitter. Este pode ser um ponto que auxiliaria uma possível negociação entre as duas empresas.

Pequenas decisões como esta acontecem o tempo todo no processo de desenvolvimento de um aplicativo Web ou site. Uma solicitação para mostrar uma informação a mais pode requerer tantas requisições ao banco de dados que simplesmente pode não valer a pena mostrá-lo. É um caso de negociação entre clientes, arquitetos da informação, designers e desenvolvedores.

No caso de plugins do WordPress, a decisão é feita unicamente pelo usuário que nem sempre sabe o que está dentro do pacote. Alguns deles podem apresentar problemas de sobrecarga no processamento de servidores Web. Será que optar por um plugin com os mesmos recursos, que não sobrecarregue o servidor mas que tenha menos facilidade de uso não seria a primeira opção para os blogueiros?

Como toda metodologia, a usabilidade e a experiência do usuário podem gerar alguns profissionais radicais e isto é saudável. Toda interface precisa ser analisada por diferentes pontos de vista para uma melhor experiência final. Planeje esta fase de negociação na hora de montar o cronograma. Na própria equipe, não é necessária uma grande reunião de aprovação de telas. Opte por entrevistas individuais e tente compreender que pontos podem ser mais sensíveis ao outro profissional para auxiliar a antecipar problemas nos próximos projetos.

Por | Alterado em 13/04/09 às 10:04

Comentários

  1. Quando vou colocar algum plugin que usa a API de outro sistema, procuro optar por um plugin desenvolvido pela própria criadora da API… 🙂

  2. Pazabro disse:

    Parece incrível, mas estava comentando isso ainda ontem com o meu primo. As empresas hoje não estão se preocupando muito com o usuário, mas sim com o que fica “bonitinho”, “visualmente poluido”, e isso as vezes me deixa profundamente irritado.  Realmente deveria ser feito um trabalho de pesquisa com os usuários e vou mais além, usuários de todos os níveis. É inacreditável pensar que ferramentas que deveriam auxiliar os usuários, acabam dificultando o processo.. Enfim, desculpa o desabafo.

    Pazabro.

    Ps:  vou seguir teu blog e seu twitter.

  3. Para isto serve o UX DESIGNER. :}

Faça um comentário

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.